Mapa mental: realmente é eficaz como forma de estudo?

O mapa mental é apontado frequentemente como uma das formas mais eficazes de estudo. Mas será que o método é bom para todos os alunos?

Alguns alunos podem não se adaptar ao modelo de estudos por mapa mental. E isso frequentemente causa dúvida nos alunos, que ficam inseguros em relação a própria preparação.

Se você tem dúvidas a respeito do uso de mapa mental em sua rotina de estudos, continue lendo! Elencamos algumas informações que podem ser úteis para te ajudar a definir se vale a pena estudar por esse método.

Mapa mental: um método para alunos visuais

O mapa mental, é um ótimo método de estudos para quem tem facilidade de memorizar informações que viu em imagens.

Se você é um bom leitor de imagens e gráficos e percebe que tem facilidade de memorizar esses dados, saiba que irá conseguir aprender.

Além disso, o mapa mental é o tipo de recurso eficaz para quem consegue se organizar dentro de um espaço.

Algo que pode ser treinado por você, afinal, a construção de mapas mentais é uma técnica fácil de aprender.

No entanto, quando você tem dificuldade de fazer essa organização no espaço da folha, seu mapa tende a ficar confuso.

Portanto, ao invés de te auxiliar o mapa pode te confundir em relação aos dados, dificultando o processo de aprendizado ou revisão por meio do mapa.

Mapa mental

Mapa mental é um método interessante para revisões

Quando um candidato a concurso constrói um mapa mental completo sobre um tema, a revisão fica muito mais rápida.

Atualmente, existem sites e aplicativos que contribuem para a construção desses mapas. Solucionando assim, a dificuldade de organização espacial de alguns concurseiros.

De modo que, o mapa possa ficar organizado e fácil de ser compreendido, além de ser salvo em nuvem e dispositivos que o aluno usa para estudar. Portanto, é uma maneira interessante de salvar os dados para suas futuras revisões.

Mapa mental

Tendo em vista que, ao passar os olhos rapidamente sobre o mapa, todas as informações necessárias ficam claras e a disposição.

Sendo um mecanismo que facilita a revisão de conteúdo e a memorização. Justamente devido ao fato de que, para construir um mapa mental você precisa fazer associações sobre o conteúdo aprendido.

Ao associar um conteúdo a palavras-chave, sua mente tem maior facilidade de memorizar as informações necessárias sobre o conteúdo.

Devo escrever ou fazer um mapa mental digital?

Depende! Observe a sua facilidade de memorização. Caso você seja uma pessoa que memoriza com facilidade imagens, tanto faz!

Quem tem maior facilidade de memorizar aquilo que escreve, deve optar pela versão tradicional feita à mão.

Uma vez que, é necessário realmente usar diferentes cores de caneta, escrever e pensar em cada palavra para memorizar em seu caso.

Devido ao fato de que, escrever te ajuda a efetivamente armazenar as informações em seu cérebro. Cada pessoa tem naturalmente uma forma de memorização com a qual se identifica.

Justamente por cada pessoa ser única e ter características individuais a respeito de sua capacidade de memorizar informações.

É fundamental conhecer a sua habilidade em específico para que você possa usar isso a seu favor na hora de estudar.

Mapa mental versus resumo: qual a melhor maneira de revisar?

Quem tem muito mais facilidade de se recordar daquilo que escreveu, tende a ter mais facilidade também de revisar por resumos.

Portanto, nesse caso em específico, o resumo leva vantagem. Mas se você tem facilidade de memorizar os dois tipos de informação, temos uma dica preciosa!

Procure sempre construir seus resumos ou mapas usando cores diferentes para partes diferentes de seus textos ou mapas.

De forma que, exista uma coerência nas cores, por exemplo, usando vermelho para algo que não pode ser esquecido.

As cores são importantes como ferramenta para auxiliar a memorização das informações. Permitindo que você tenha um desempenho superior na hora de guardar esses dados em sua memória.

Isso é um grande diferencial na sua rotina de estudos, possibilitando que você tenha melhor desempenho nas matérias.

Resumos sempre devem ser feitos à mão

Sempre que você optar por resumir um conteúdo ao invés de fazer um mapa mental, procure resumir à mão.

Especialistas em educação apontam que, ao escrever você está ativando diferentes áreas de seu cérebro. No entanto, fazendo o mesmo resumo em Word, por exemplo, você não apresentará essa mesma ativação cerebral.

Por isso mesmo, ao escrever usando caneta e papel existe mais chances de que você realmente memorize as informações e se lembre de tudo que precisa.

Possibilitando um melhor desempenho para sua revisão. Que poderá ser feita após responder questões de forma errada ou um mês antes de sua prova, como mecanismo de melhorar sua preparação.

Mapa mental agiliza a revisão

O mapa mental é extremamente visual, por isso mesmo, não ocorre perda de tempo quando você precisa visualizar as informações nele.

Em alguns minutos você consegue ler um mapa mental inteiro e se recordar daquilo que foi estudado e aprendido.

Mas lembre-se que, não adianta ler o conteúdo de qualquer forma, com pressa e sem atenção apenas para desenhar o mapa mental.

Tendo em vista que, o mapa é apenas um mecanismo de revisão. Se a sua rotina de estudos não foi eficiente e dedicada verdadeiramente ao aprendizado, a sua revisão não terá sentido.

Portanto, não adianta usar o mapa como um mecanismo de decoreba de conteúdo. Uma vez que, isso não vai trazer resultados significativos que possam ser capazes de gerar uma aprovação.

Além disso, é importante que seu mapa mental siga uma coerência em relação às informações dele. De modo que, seja possível se recordar de todo o assunto ao ler o mapa mental.

Mesmo que reúna as informações de maneira mais superficial, é importante que todas as principais informações sobre o tema estejam disponíveis nele.

Caso contrário, o material não será suficiente para sua revisão ser completa. E isso vai impossibilitar a otimização de tempo que era desejada por você quando construiu esse mecanismo para resumir os estudos e lembrar das informações.

Como fazer um mapa mental eficiente?

Você vai precisar de caneta e uma folha A4. Deixe no centro da folha a informação mais importante sobre o conteúdo ou seu tema.

A partir dessa informação, você vai precisar puxar setas e diferentes direções, criando balões com palavras sobre o tema.

Sempre tenha o foco em fazer conexões a partir da palavra central. De forma que, exista coerência entre os dados e isso ajude na revisão.

Não é preciso ser criativo para criar um mapa mental! Se você está estudando história, por exemplo, vale grifar no livro as informações importantes.

Coloque no centro de seu mapa mental o tema estudado e em seguia, comece a puxar setas para aquelas informações grifadas.

Aos poucos, se torna natural fazer esse tipo de trabalho, servindo como uma revisão imediata após os estudos.

Mapa mental

O que irá te ajudar a fixar melhor em sua memória todos os dados relevantes sobre cada tema, além de servir para a revisão posterior.

Portanto, agora que você já sabe mais sobre mapa mental e como funciona, é hora de identificar se vale a pena dentro da sua rotina de estudos.

De modo que, seja possível otimizar seu tempo e ter os melhores mecanismos de revisão sempre disponíveis.

Deixe um comentário